Confira o que rolou no Especial Elino Julião em Natal

Orquestra Sinfônica do RN uniu-se a grandes artistas potiguares para homenagear o cantor, falecido em 2006

Quem passava pelo terceiro piso do Midway Mall podia ouvir de longe os inconfundíveis sons da sanfona, zabumba e triângulo. O trio recepcionava o público ansioso pelo espetáculo do projeto Morada da Memória Elino Julião, realizado na última quinta-feira (1º/6), no Teatro Riachuelo, promovido pelo cemitério e crematório Morada da Paz e pela Prefeitura do Natal.

Segundo Ibsen Vila, um dos diretores do Grupo Vila, o objetivo do projeto foi manter viva a memória de Elino Julião. “Não queremos que as pessoas esqueçam desse artista tão importante para a cultura potiguar. É nossa missão divulgar e fortalecer a cultura”.

Entre os presentes, era clara a paixão pelo forró e pelo ícone do gênero que levou a música e a cultura do RN para o Brasil e o mundo. Quando o espetáculo começou e o ator Rodrigo Bico entrou acompanhado do trio sanfoneiro, usando o chapéu e o colete que Elino usava em seus shows, foi a certeza de que aquela seria uma noite memorável para todos que estavam no Teatro.

Para Rodrigo, a emoção de interpretar Julião vai ser difícil de ser superada. “O momento de apresentar um trabalho feito com tanto estudo e amor é sempre o mais bonito. Estar perto do público e sentir tanto amor foi muito emocionante. Esse encontro com Elino e sua história foi muito marcante pra mim”.

Após alguns versos de Rodrigo, a Orquestra Sinfônica do Rio Grande do Norte entoou os primeiros acordes, desta vez acompanhada do som do trio Os Forrozêro, liderado por Zé Hilton, que acompanhou Elino durante quatro anos, inclusive em turnê internacional. A mistura inusitada da música clássica com o autêntico pé de serra não poderia ter casado melhor, mérito da maravilhosa regência do maestro Linus Lerner, que tirou de letra o desafio.

Segundo ele, quando recebeu o convite para participar do projeto, houve um pouco de receio, pois ele acreditava que a música de Elino era um forró para entretenimento. “Tudo mudou quando ouvi as letras, pois não esperava que fossem tão lindas. Elas carregam também um conteúdo social, que fala do Nordeste e seu povo. Eu realmente me surpreendi”, revela o maestro.

O primeiro artista convidado a cantar as letras de Julião foi o inconfundível Isaque Galvão que, emocionado, lembrou da música “Filho de Goiamum”, que gravou para um dos CDs do artista. Para Isaque, Elino foi, e continuará sendo um ícone da música popular brasileira. “Todas as músicas dele são lindas, ele era ótimo! Com certeza os jovens que estão ouvindo suas composições hoje estão tendo uma grande surpresa com a musicalidade surpreendente que Elino carregava”, disse o cantor, que chegou a acompanhar Julião em uma turnê de 15 shows pela Europa.

Em sequência veio a apresentação emocionada de Araken Batista, filho de Elino, que cantou a música “Sant’ana”, composição de seu pai e sua mãe Veneranda. Para ele, a emoção de cantar em um concerto de homenagem ao pai é inigualável. “Estou muito feliz e tenho certeza de que ele está”, disse o artista que cantou ao lado Sibelle de Luna.

A cantora e compositora Alessandra Macêdo encantou o público com a doce interpretação das músicas “Relampiou”, “Na Bodega do Expedito” e “Meu Cofrinho de Amor”. A última artista convidada foi Khrystal, que com sua força e sensibilidade transmitiu toda a emoção de uma das composições mais bonitas de Julião, a música “Finja que não me quer”. Para Khrystal, a oportunidade de prestar uma homenagem ao grande artista foi muito especial. “Tive pouco contato com Elino, mas tenho uma forte conexão com ele. Há muito tempo canto suas músicas”, disse emocionada.

A noite terminou como deveria terminar, com muita alegria e “chinelo arrastando”. Em clima de São João, todos os artistas subiram ao palco e convidaram o público a dançar as últimas músicas do espetáculo, que ocupou, em pares, todos os espaços livres do teatro.

O projeto Morada da Memória foi viabilizado por meio de patrocínio da Prefeitura do Natal e do Morada da Paz, por meio da Lei Municipal de Incentivo à Cultura Djalma Maranhão, com apoio cultural da Opus e do Teatro Riachuelo e produção da Mapa Realizações Culturais.

O projeto também conta com uma plataforma eletrônica, apresentando a página www.moradadamemoria.com.br/elino-juliao, que reúne com todas as informações sobre a iniciativa, além de uma rica produção contando a história de Elino Julião, entrevistas exclusivas concedidas por personagens ilustres que relembraram momentos icônicos do artista, além de fotos, vídeos e ainda o repertório do espetáculo.

Informações: Idea comunicação / Fotos: Paulo Fuga

Leia também

Leave a Reply