Virada Carnavalesca reuniu todas as “tribos” na Orla de Ponta Negra

Pegue Rock, reggae, forró, acrescente a beira mar de Ponta Negra e o resultado dessa “equação” será o Carnaval Multicultural de Natal e sua Virada Carnavalesca, uma festa democrática para todas as tribos e sons.

A festa começou às 11h e entrou pela noite. Se apresentaram no palco montando em pleno calçadão da avenida Erivan França, Diogo das Virgens, Igapó das Almas, Bando das Brenhas, Ângela Castro, Talma e Gadelha, Daniel Get Up, Fetuttines, Rosa de Pedra e DJ Samir, todos selecionados por chamada pública elaborada pela Secretaria Municipal de Cultura (Secult).

O cantor Luís Gadelha, da banda Talma e Gadelha elogiou a iniciativa da prefeitura em apostar na multiculturalidade. “Poder tocar todo o tipo de música em pleno carnaval é muito interessante. Além disso, a gente que é artista da terra pode garantir trabalho o ano inteiro. Antes, no carnaval, a gente só via os outros tocarem, agora estamos no palco também”, comentou.

A foliã Natália Grove colocou a fantasia e se divertiu com a mistura de ritmos. “Nosso povo é multicultural e essa iniciativa é excelente. Além disso, está estimulando os artistas da terra”, analisou.

Leia também

Leave a Reply